You Are All I See

- Sei que estás relutante em acreditar nestas minhas palavras, mas deves acreditar que o caminho a seguir é este que te indico. Pode parecer algo descabido e até egoísta, mas ir para onde vou e querer-te lá comigo é tudo o que talvez possa parecer certo para nós. 
Dá-me a mão, vamos em frente. Existem partidas que não são necessariamente partidas, são somente um começo de algo novo e aquela porta, escondida ali em baixo, irá levar-nos para um novo mundo onde a mágoa e o sofrimento não têm permissão para lá estar. Pode também não ser o mundo perfeito, mas merece uma visita. Podes levar a saudade contigo e inclusive a tristeza, mas, fica sabendo que poderás deixar aqui a maldade ou os sentimentos de mesquinhez de quem os possa ter e que por vezes nos magoam e nos prendem como se nos agarrassem pelo tornozelos não nos deixando caminhar livremente... e vais ver que essa liberdade que irás sentir é algo que nunca imaginaste. 




- Eu sei que as tuas palavras deveriam ser aquilo em que devo acreditar e posso ter motivos mais que suficientes para crer que assim seja. No entanto não me consigo desprender de mim e de tudo aquilo que posso ter considerado importante para mim até agora. Por momentos tenho a certeza que tu e eu somos tudo o que está certo, no entanto, existem manhãs em que acordo e não é isso que sinto e à medida que o tempo passa acabo por sentir um vazio, algo que me magoa e que não consigo definir. Será que também sentes isso? Será certo seguirmos em frente e seguir este caminho que indicas?




- Já deves ter percebido que aquilo que sinto por ti é o que me faz conseguir suportar o desgaste do tempo, mas sinto que me estou a desvanecer aos poucos como o mar que insiste em levar consigo uma imponente encosta, mas que de tanto tentar, sempre e sempre, acaba por deixar as suas marcas. Não quero sentir esse cansaço e deixar de esperar mim ti, mas infelizmente não sei quanto tempo mais irei conseguir suportar essa delonga.
Desde o momento em que pude ver o mundo através dos teus olhos, desde o momento em que a minha alma foi invadida pelo teu olhar, que sinto que uma parte de mim se ligou a algo especial...como se a partir daquele momento um abraço, o teu abraço, fosse muito mais do que esse gesto aparentemente simples e muitas vezes usado sem significado algum, e fosse a forma física de nos unirmos e estarmos em sintonia. 




Comentários

  1. Não sei é o teu textos são perguntas para alguém, desconheço a raiz que o suporta. É mais que evidente que alguém te "pediu" para as escreveres. :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O texto pode ser visto ou lido como um diálogo e podem ser como perguntas com ou sem resposta, tudo depende da perspectiva, mas a sua principal razão (das palavras) foram sobretudo as músicas, sendo elas portanto, as solicitadoras.

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não