Mar de Papoilas - Amitav Gosh


"Mar de Papoilas" de Amitav Gosh, não é à primeira "vista" um livro muito fácil de se ler, pois ainda demora algum tempo até nos sentirmos embrulhados na história, até sentirmos que conhecemos minimamente as personagens que habitam este livro e além disso, para "desajudar", é necessário consultarmos frequentemente o glossário que existe no final do livro caso queiramos perceber algumas das palavras/termos escritos na sua língua original e que surgem com bastante frequência durante todo o livro. Alguns deles ficam na memória (aqueles que surgem com mais frequência), contudo existem outros que não dispensam a sua consulta/tradução. Por mais que se tente seguir em frente e tentar decifrá-los tendo em conta um possível contexto, nem sempre isso é possível, por isso recomenda-se a consulta do glossário...mesmo que isso quebre muitas vezes o ritmo da leitura (algo que não gosto quando acontece!!).
Será também aconselhável saberem mais ou menos a estrutura de uma barco/navio e seus componentes, pois a certa altura, quando embarcamos no Ibis (barco que serve de palco para uma parte significativa da história do livro), podemos nos sentir perdidos a bordo do livro se não soubermos a que se referem aqueles termos náuticos/marítimos.
Quanto à escrita em si, apesar de por vezes minuciosa, esta é bastante acessível e interessante, atenta aos detalhes e com capacidade de nos surpreender em diversas ocasiões ao longa da história...história essa que à medida que o livro avança nos vai cativando cada vez mais, factor esse obviamente crucial num bom livro, dando-nos a conhecer várias personagens que se tornam cada vez mais "próximas" de nós, quer pelas suas atitudes, quer pelas suas convicções e diga-se de passagem que sabe bem quando há umas que têm aquilo que merecem...uma sensação semelhante à morte de Joffrey da Guerra dos Tronos!

O mais chato é chegar ao fim e saber que por enquanto ainda não foi publicado em Portugal a sequela deste Mar de Papoilas e que se chama (no original) "River of Smoke". Portanto, quem quiser saber como continua a aventura do Ibis (e não só) terá de saber esperar (ou saber continuar a esperar) ou então ler a versão inglesa. Apesar disso, se calhar não é necessário ter assim tanta pressa em ler esta sequela porque o 3º livro da trilogia ainda nem foi publicado (ou até finalizado) pelo autor desta história!



Comentários

  1. Do pouco que sei sobre o livro e do que aqui escreveste, por mais que seja uma história há sempre a componente cultural que por mais ficção que seja, há sempre uma real.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto, apesar de ser uma história e de ter a sua dose de ficção, muitas situações presentes no livro referem-se a coisas baseadas na realidade e embora possam algumas dessas coisas já estar ultrapassadas culturalmente (no que respeita à India, cenário em destaque no livro) há outras que perduram até aos dias de hoje (pelo pouco que posso saber).

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não