As pessoas que gosto



As pessoas que gosto...ora bem, eis uma boa pergunta.
Se calhar opto por deixar as palavras dessa resposta para outro post mais conveniente e por agora vou antes dar algumas indicações do tipo de pessoas ou do tipo de comportamentos que algumas pessoas têm e que não me agradam. Posso até simpatizar com a(s) pessoa(s) às quais possa servir a barreta, mas certas atitudes simplesmente são sinónimo de desagrado perante tal pessoa e é como um vidro quebrado... podemos colá-lo/repará-lo, mas nunca mais será o mesmo.

Portanto, desagrada-me ...

... a atitude da pessoa que acha que sabe tudo sobre tudo e mais alguma coisa e, mais grave ainda, apesar de pensar que é dono da sabedoria e inteligência desse mundo todo, não dá a possibilidade às outras pessoas de demonstrarem a sua opinião ou ponto de vista porque desde o início já estava convencida que a sua perspectiva era a única correcta e possível!
... a atitude da pessoa que se sobrevaloriza não demonstrando qualquer sinal de humildade;
... a atitude da pessoa que pode nem saber o que está a dizer e mesmo assim não tem qualquer problema em abrir a boca para deixar sair uma enxurrada de asneiras que se atropelam umas às outras e no final, ainda se sente orgulhoso de ter proferido tais lacunas, achando-se grandioso, poderoso, esperto e decidido;
... a pessoa que gosta muito de dizer que sabe e que faz e que manda fazer, mas que no entanto, quando chega à hora da verdade, não se vê nada feito, pode até mandar fazer e as coisas aparecerem feitas, mas qualquer um com possibilidade de mandar nos outros poderia tê-lo feito (e não que eu seja contra o facto de algumas pessoas terem de fazer tarefas a pedido ou mandato de outras pessoas desde que isso seja algo baseado numa relação de respeito e cooperação);
... a pessoa que na tua presença se comporta de determinada maneira, mas que na presença de outras pessoas, parece que se transforma noutro tipo de pessoa, fazendo com que aquilo que digas ou que pensas (e que outrora era do consenso dessa pessoa que posso chamar de pessoa camaleão) é errado ou absurdo porque as outras pessoas que estão presentes podem julgá-la de outra forma pelo facto de ela estar de acordo contigo;

...enfim, certamente não faltaria mais situações que pudesse aqui deixar, contudo, também tenho a noção que eu próprio terei a minha conta de "defeitos" que poderiam compor eventualmente a listagem de outras pessoas, contudo isso não me aflige porque reconheço que respeito quem me rodeia e quem está de alguma forma relacionado comigo e em jeito de pequeno regra ou princípio, trata-se de simplesmente não fazer aos outros aquilo que não quero que façam a mim próprio.



Comentários

  1. Realmente é mais fácil falarmos das pessoas que não gostamos, mas como tu dizias, também nós temos defeitos, e não sendo de fabrico, é apenas uma questão de acertas os outros como são, até um certo ponto, não queremos criar atrito com pessoas que nada têm a ver connosco.

    Não é fácil gerir o ser humano nos limites que nos são impostos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é novo dizer que o ser humano é complexo, pois as pessoas são seres em constante mutação e é um jogo de adaptação que tem como resultado a aproximação ou afastamento.

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

17.1 - Ilusões