Talvez um amigo...


02-09-2011...terá sido esse dia o escolhido por ter algum significado especial ou terá sido o limite dos limites que te levou a decidir que era "simplesmente" hora de partir?
Conhecia-te pouco mais do que "de vista", mas mesmo assim, com base no que me fora possível conhecer através da observação e de interacções, mesmo que indirectas, não posso deixar de demonstrar tristeza pela tua escolha e agora ausência. Todos nós temos uma maneira de ver e de estar no mundo e nem todos lidamos com os problemas da mesma forma. Quando os problemas parecem acumular-se e sem solução que os elimine, é preciso muita coragem e força para continuar a acreditar que é possível superá-los. No entanto sei que fazer isso sozinho ainda é mais difícil e infelizmente a solidão, a timidez, podem ser factores que não ajudam nada nessas situações e podem dar origem às piores decisões. Talvez um amigo, um verdadeiro amigo ou um amigo verdadeiro, pudesse ter sido suficiente para hoje não ter motivos para estar aqui a escrever essas palavras de tristeza. Mas sei que esse tipo de amigos não abundam, pois apesar de nos dias de hoje haver muitas formas de as pessoas se interligarem, poucas são aquelas que dão origem a amizades sólidas. 
Infelizmente o tempo não volta atrás e resta-nos apenas desejar-te uma boa viagem, que as inquietações dos últimos tempos tenham sido lavadas pelas águas (que outrora dizem ter sido originadas por lágrimas de amor) e que onde quer que estejas, encontres a paz e que tudo seja mais fácil do que supostamente estaria a ser para ti durante esta tua passagem pela nossa terra, e que sonhes com as paisagens que decidiste levar no coração. 

É revoltante e triste ter conhecimento de situações em que descobrimos que as pessoas sofrem em silêncio e que é tarde demais para fazer algo que pudesse mudar os factos. Com medo e vergonha de abordar as outras pessoas com os nossos problemas, muitas vezes devidos a estigmas sociais, criamos dentro de nós raizes que se apoderam de nós lentamente, consumindo-nos gradualmente até chegar a um ponto em que só existe um vazio. Mediante a infinidade de razões que fazem parte das preocupações de todos nós, era bom que todos pudessemos ter a capacidade de tentar, e claro, conseguir, ter alguém que nos ajude...verdadeiramente!   

Comentários

  1. Há momentos que acabam por se tornar estranhos, porque um simples acto consegue transformar pequenas coisas em gigantescas.

    Abraço,
    Carlos

    ResponderEliminar
  2. Profundo. Profundo e sentido. Gostei muito. Um enorme abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não