Senhor Santo Cristo dos Milagres


Sejam benvindos de volta à vossa terra! Sei que faz já algum tempo desde que cá estiveram pela última vez. Pelo vosso olhar quase que posso afirmar que já se aperceberam que muita coisa está diferente, muita coisa mudou desde que partiram. É verdade, já se passou tanto tempo. Esse agente que, juntamente com as pessoas, se encarrega das transformações. O relógio não pára. Essa é uma boa altura para visitarem as ruas da vossa pequena cidade. Ruas essas que este fim-de-semana estarão inundadas de pessoas, multidões provenientes de toda a ilha, de todo o arquipélago e de diversos locais espalhadas por esse vasto mundo que se estica e encolhe como um acordeão perante o nosso estado de espírito. É uma oportunidade única para testemunharem e viverem novamente actos de fé que assumem dimensões que só cada indivíduo pode tentar explicar. Nem sempre temos a capacidade de interpretar tamanhas forças e devoções.
É bom ter-vos de volta. Há tanto para vos dizer e há mais ainda para vos perguntar. São tantas as questões que nos atormentam todos os dias. Mesmo não estando cá, sei que saberão muita coisa, que saberão responder a muitas dúvidas. Fico feliz por mostrar-vos algumas coisas e de falar convosco acerca do presente. No entanto também devo dizer que não sinto vergonha de chorar junto de vós os fracassos, as perdas e as desilusões que fazem parte da vida de todos nós e creio que nem precisaria de vos mencionar isso....quem melhor do que vocês para o saber.
Vamos aproveitar o almoço para estarmos todos juntos. Hoje iremos almoçar no café daquela senhora que cujo marido partiu para junto de vós há uns anos, lembram-se? O café dela continua sem ter um rádio ou uma televisão! Podemos conversar à vontade, não há distracções. Acho que vão gostar de a rever. Ela fez um novo penteado. Deve ter sido por causa da festa. Costuma ser sossegado lá, mas hoje é possível que esteja mais movimentado visto que hoje é a sexta-feira que começa a festa e há mais movimento do que o habitual na zona onde se situa o café. Quem sai do trabalho aproveita o sol e o ambiente que se enche de algo que não sei explicar, mas que tenho a certeza que se deve ao facto de haver várias pessoas, grupos de pessoas, algumas de um lado para o outro, outras paradas a conversar, outras só sentadas olhando em redor, para dar um passeio na hora de almoço. Talvez aproveitem para ir almoçar nas barracas da festa que já começam a confeccionar os primeiros pratos sem esquecer os petiscos. Já se sente o cheiro. Entre a movimentação existem ainda aqueles que se esforçam por completar os últimos preparativos para a festa.
Este fim-de-semana muitas famílias encontrar-se-ão e poderão passar bons momentos juntas, pelo menos era isso que costumava acontecer. Espero que ainda assim seja para não ficarem desiludidos ao longo desta vossa visita. Algumas pessoas ainda têm o hábito de comprar a roupa nova para a festa. Nos dias de hoje a maior parte das pessoas compra roupa todo o ano, mas há ainda aquelas famílias que mantêm o hábito (também devido as condições financeiras) de comprar a roupa nova para a festa do Natal e para esta festa, a festa do Senhor Santo Cristo dos Milagres.

Comentários

  1. Gostei, sim senhor. Um quase pregão em tom narrativo de uma festa que se quer conhecida.

    Um abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante