Como me sinto agora

Talvez, e à semelhança de muitas outras pessoas, tendo a recorrer a ti com mais afinco em situações que me ultrapassam ou que pelo menos assim parecem. E digo "talvez" porque lá no fundo não é preciso dizer nada, o sentir diz tudo. Sei que esse conjunto binário de "zeros" e "uns", transformados em letras, estarão armazenados num vasto mundo virtual e que não chegarão a ti ou que tu não chegarás a eles, mas em tempos de escassos recursos, é preciso acreditar que neste canal entre pensamento, nervos, músculos, dedos e teclas, existe uma voz e existe alguém à escuta. Não acredito sempre nisso, ninguém acredita sempre, mas até haver dúvida, há sempre Fé.
Entretanto já não sinto o calor da fogueira a meus pés, as suas chamas estão praticamente extintas e tentam timidamente manter-se vivas e temo que em breve vaia restar apenas cinzas. Cinzas que o vento encarregar-se-á de espalhar por aqui e por acolá. Será o fim? Será o início? Não sei...só sei que será como me sinto agora. 

Comentários

  1. Estes teus pedaços confessionais e catarticos são sem+pre tao deliciosos. Espero que estejas ebbem. Um abraço grande

    ResponderEliminar
  2. falas-te uma altura no livro "deixa o grande mundo girar". é bom???
    já estou a começar a fazer a lista de livros q quero comprar em Agosto... este vale a pena???

    ResponderEliminar
  3. Parece-me que andamos sempre nisto, sem saber muito bom, onde começa e onde acaba, se estamos ou não afinal, no cerne da questão ou já alheada dela.
    Gosto de te ler assim, cheio de fé, equacionando a dúvida.
    É isso que nos mantém vivos.
    Parabéns pelos últimos posts!!!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não