Egoísta


E hoje fui egoísta, neguei algo que à partida não era nada que fosse fora do normal, mas que por instinto simplesmente disse não, respondi "não". Para mim, e para muitas outras pessoas, aquilo que neguei, nem sempre tem o devido valor e passados alguns segundos após tal atitude, parei e foi como se naquele instante, me abandonasse a mim próprio e me repreendesse, me repreendesse por tal gesto. Senti-me envergonhado ao recordar as palavras e o olhar e ao recordar o olhar a quem neguei algo, o meu olhar humedeceu. Perante tal repreensão, virei-me hesitante na possibilidade de poder voltar atrás e tentar remediar a situação, mas tal não aconteceu. Há momentos que têm o seu timing e quando perdem o seu prazo de validade, desaparecem, é como uma gota de água que já secou e transforma-se em nada, viajou para um universo onde as coisas existem mas não são visíveis, um pouco à semelhança das nossas memórias...embora não as vejam, elas existem e agora resta-me lidar com esse pequeno fragmento de memória que me poderá fazer sentir mal perante mim próprio, sobretudo naqueles dias em que os pequenos gestos são suficientes para criar um sorriso.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante