Sentimentos sociais


Sem dúvida que as redes sociais são um excelente meio de interligar as pessoas, e tal como imensas outras coisas, têm os seus factores positivos e os seus factores negativos. Chegam mesmo a ser um desafio para todos nós e cabe a cada um definir o nível de atenção a dar a cada tipo de rede social, que informações procurar, que informações partilhar, em suma, estabelecer o seu próprio limite e respeitar os limites dos outros. Pode ser uma excelente ferramenta de trabalho (ou o oposto), um entretenimento, um passatempo, uma companhia, um perigo, etc, são inúmeros os adjectivos que se podem atribuir. Mas o que me traz aqui não é explicar o que são as redes sociais, pois isso já todos nós sabemos o que são, ou não fosse isso um dos assuntos frequentemente abordados pela imprensa e diversos programas e documentários que chegam até nós através dos diversos formatos disponíveis.

Existem diversas formas de prestarmos a nossa homenagem perante alguém que parte para uma nova etapa da sua vida (uma vida com presença espiritual) e se alguns de nós prefere manter os sentimentos guardados dentro de si, outros preferem torná-los públicos, partilhá-los de forma espontânea. Tem-me feito alguma impressão ou confusão, ver como nas redes sociais isso se pode transformar no assunto do momento (a partida de alguém) e ver mensagens, sobretudo de adeus, no perfil de uma pessoa que partiu e de certa forma torna-se ainda mais estranho para mim quando se trata de alguém que me era (e continuará a ser) próximo. Claro que não sou contra esse tipo de atitude (e é das situações que sei que não posso dizer "desta água não beberei") porque percebo que um suporte como o Facebook por exemplo (a rede social mais comum e bem sucedida nos dias de hoje) possa ser como um ponto de encontro para as pessoas que conheciam a pessoa que partiu, que possa ser "o" local de encontro. O meu recuo está relacionado com o pensar que esse tipo de situações ou atitudes, pode transformar de alguma maneira em algo comum, para não dizer banal, aspectos da nossa vida, existência e sentimentos que devem continuar a ter toda a importância e respeito.
Estranho como ver as mensagens no perfil de alguém que já não está fisicamente entre nós, é ver no telemóvel o contacto dessa pessoa e passar pela cabeça ligar para o respectivo número. É algo estranho de se pensar, quanto mais de se fazer...
Mas voltando ao que estava a falar (ou escrever), devo dizer que respeito e compreendo que utilizem essas novas ferramentas (aka redes sociais) para se manifestarem e até para agendarem eventos (tal como um tributo/homenagem à pessoa que partiu), ou não fosse esse o suporte mais utilizado nos dias de hoje para dar voz e força a acontecimentos recentes que acabam por chegar a todos nós e em alguns casos, são acontecimentos que acabam por serem extremamente importantes na medida em contribuem para a mudança pessoal, social, de um país, do mundo.
Cada vez mais estamos todos interligados de alguma forma, mesmo que não tenhamos consciência disso no dia-a-dia.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante