Desempenhar um papel

Esses fragmentos estavam perdidos algures na caixa de rascunhos ....

Todos nós estamos aqui para desempenhar um papel, para fazer parte de algo, construir um destino que se vai desenhando debaixo dos nossos pés como se a nossa sombra fosse desbravando caminhos para podermos continuar a seguir em frente, encarando vários desafios, sendo alguns deles transformados em algo positivo e outros nem tanto, pois o fracasso também faz parte da jornada de cada um de nós, quer a nível individual, quer a nível colectivo! Por mais que se queira, é impossível fazer esse percurso apenas na nossa própria companhia, desde o inicio até ao final. Pode haver momentos em que se pense que isso é possível, mas depois enfrenta-se a realidade e admite-se que se estava errado ao pensar que não era preciso ajuda... Temos tendência a chegar a essa conclusão nas alturas em que nos sentimos perdidos, isolados, sem objectivos e sem vontade de alcançar quaisquer metas ou de perseguir os rastos de um passado que nos poderia ter levado a algum lado.

Comentários

  1. Como sempre, um texto muito bom. Somos seres relacionais, incompletos, e sê-lo-emos sempre, pelo que apenas a Presença do Outro, qualquer outro, nas suas variantes e nos diversos tempos e modos, nos ajuda no caminhar, mesmo que sem o saber, porque é no sentido e na ajuda efectiva do Todo que cada Um se torna ele mesmo, mais completo, mais cheio e mais humano.

    Um abraço assim...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não