Do cheio ao vazio

Quero ser Mais e sou Menos
Quero ser o Sol e sou a Lua
Quero ser uma Estrada e sou um Beco sem saída
Quero ser um Oceano e sou uma Gota num Lago que muitas vezes parece querer secar
Quero ser uma Montanha e sou uma Pedra adormecida dentro de um buraco escuro
Quero ser Eu e sou a Sombra...
A Sombra que nada sabe dizer, errante e dependente da direcção e da força da luz que emana de uma fonte aleatória de sentimentos e vontades. Talvez na realidade as coisas não sejam bem assim, mas até lá o "?" marcará presença porque nunca estaremos no olhar dos olhos que nos observam, nunca estaremos a ser processados por um cérebro que não seja o nosso, e quem nos vê através do espelho não é quem nos vê e nos consegue tocar, é simplesmente uma sombra com cores e formas esbatidas num reflexo de luz, um fantasma que nasce de nós.

Divagar nas dúvidas é talvez aquilo que mais nos entretem, pelo menos no meu caso posso dizer que isso acontece muitas vezes, mas tenho de ver isso pelo lado positivo É bom questionarmos o mundo e a vida... Quem não tem dúvidas não é necessariamente quem sabe tudo, pois quem não tem dúvidas pode ser quem não questiona e quem não questiona não descobre e quem não descobre não vive. Como algures no texto era referido um "beco sem saída", agora pergunto, e aqueles que vivem questionando constantemente e não encontram respostas?! Há dias que somos o beco sem saída, mas há que acreditar que nesse beco sem saída existem muitas portas por abrir e muitos "mini-mundos" por explorar, "mini-mundos" que nos levam ao resto do mundo.

Muitas vezes a ideia da insignificância nasce da nossa vontade de exigirmos para nós, mais do que aquilo que podemos ter, mais do que aquilo que podemos ser, mais do que aquilo que podemos alcançar, e isto porquê?! Porque talvez não nos esforçamos o suficiente para lá chegar, o suficiente para conseguir, o suficiente para triunfar dentro dos nosso próprios objectivos, por mais distintos que sejam.

Comentários

  1. Quero a paz mas vivo uma guerra silenciosa. E isso diz quase tudo :-p

    Abraço,
    Carlos

    ResponderEliminar
  2. Olá
    Pois é...
    Às vezes queremos ser somente Nós e não nos dixam...
    Quero de Eu e... não posso.
    E se pudessemos?
    Não quereriamos não poder?
    Dava "pano para mangas"
    Beijo
    Anabela

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não