Outro mundo...ou simplesmente uma versão diferente

As horas passam-se e o dia prepara-se para entrar na sua fase nostálgica, na suposta fase do silêncio em que os sentimentos começam a flutuar como bolhas de ar. Mas os dias não são todos iguais, e as noites muito menos, e é tudo uma questão de circunstâncias, de variantes e condicionantes que nos fazem enfrentar novas situações, ou não tão novas quanto isso, porque sabemos que existem, simplesmente não as experimentamos ou presenciamos na primeira pessoa.

Como se eu vivesse num mundo à parte e agora tivesse feito uma visita a um outro mundo, que afinal era o meu, e tudo por causa do dia que era e a hora que era, dei-me conta que certos aspectos durante o dia estão escondidos sorrateiramente entre o resto dos edifícios da cidade, olhos fechados, boca fechada, nem uma palavra nem um pestanejar. Estão adormecidos como se estivessem a recuperar energias para mais tarde germinar, sem incomodarem e sem quererem ser incomodados. Quando a hora do recolher já está cansada de ter ter chegado, e os edifícios que estiveram acordados durante o dia, começam agora a adormecer, os outros ganham vida, mostrando toda a sua pujança, reclamando o seu espaço e o seu direito de viver e fazer viver. Nesse passeio nocturno passei despercebido no meio da multidão, escutei outros sons, analisei as luzes e as cores, fiz um "scan" a meia-dúzia de rostos na expectativa de reconhecer algum, não reconheci nenhum, e lá continuei o passeio, a visita, e nas várias ruas onde deixei as minhas pegadas, a situação foi mais ou menos idêntica, mais rostos, mais sons, mais imagens, a mesma vida, a mesma energia...diferente das horas e dos dias que eu melhor conhecia. Por onde andei eu ao longo desse tempo que se passou? O que é que perdi? O que é que ganhei? Que mundo é esse que desconheço?

Comentários

  1. Acho que sei que imagem é essa apesar de nunca lá ter estado...se não estiver errado espero que em breve eu possa tirar uma foto (daqui a alguns anos penso eu lol) a "minha" cidade e fazer uma comparação :-p

    Nem mais, por onde é que andamos que há coisas que nos surpreendem sem contarmos com isso? Uma cidade pode ser uma caixinha de surpresas. Acredita que há mundos que desconheces, como qualquer pessoa mas dificilmente iremos conhece-los a todos!

    *Hugs n' smiles*
    Carlos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

17.1 - Ilusões