Gira-discos

Um amigo dizia-me que a vida era como um gira-discos, que tanto tocava como de repente podia parar de tocar... Claro que essa afirmação teve a sua razão de ser expressada e depois de parecer estar a navegar num mar revoltado [de emoções] lembrei-me novamente dela e o quão certa ela estava e permaneci alguns minutos no silêncio a pensar nela enquanto os olhos ardiam. Nesse momento navego num mar mais calmo e as palavras que tinha para deixar aqui ficaram espalhadas ao longo do mar devido à força das ondas. Depois, quando for a altura certa, terei oportunidade de as recolher e fazer delas aquilo que elas merecem porque não serão palavras saídas da ponta dos dedos, mas sim do coração, se possível sem interferências.

Mas é assim, a vida é como um gira-discos e cada um de nós é um que gira em cima de outro enorme que engloba todos nós e por isso há uns que estão interligados de muitas formas e com diferentes intensidades. Quando o gira-discos de alguém, que gira no nosso coração, pára definitivamente, o nosso fica descontrolado, começa a saltar, pausando momentaneamente ficando com riscos gravados nas suas pistas e que não serão apagados, para depois voltar a tocar porque a vida [que tantas vezes nos parece injusta] continua, mesmo que a música seja outra...e hoje a minha música é melódica e triste.

Comentários

  1. Eu entendo o teu texto por vários motivos. E voltando à metáfora dos gira-discos, esse aparelho deixa de funcionar por muitas razões, desde a falta de electricidade, do disco estar riscado, ou por falta de manutenção. E pensarmos bem, o ser humano pode ser muita coisa e certamente um gira-discos está dentro desse conjunto de termos associativos.

    *Hugs n' smiles*
    Carlos

    ps- Deixa a música tocar à vontade.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante