At war with ourselves

"We are all at war with ourselves. That is what it means to be human. The trick is figuring out how to be in the winning side."... in Heroes

Será essa a nossa natureza? Será esse o pensamento resultante de uma constante luta perante a inquietude de nunca se ter o suficiente, de nunca se ser o suficiente bom perante nós próprios e por consequente, perante os outros?! Muitas vezes estamos em guerra connosco próprios, mesmo sem sabermos, e quando não conseguimos vencer essa guerra e encontrar a paz é complicado dar o nosso melhor àqueles que nos rodeiam. Será esse o motivo que leva as pessoas a esquecerem-se umas das outras? Estarão de tal modo envolvidos na sua guerra? Uma guerra que depois ganha um novo adversário, a solidão! Quando a batalha chega a essa fase, em que normalmente as energias começam a faltar, é natural que se procure aliados e esses por norma são exactamente aqueles que ficaram esquecidos enquanto lutávamos ilusoriamente contra nós próprios. Uns responderão, outros já nem nos conseguirão ouvir porque entretanto já estarão longe, e se por algum motivo nem sequer encontrarmos alguém a quem chamar, a situação agrava-se drasticamente.

Quando nos apercebermos que uma guerra pode estar prestes ter inicio em nós, mesmo que os motivos da sua origem sejam externos, alheios às nossa decisões e vontades, temos de tentar descobrir imediatamente onde está o nosso lado vencedor. Uma palavra amiga, um voto de confiança em nós, por vezes conseguem ser o nosso lado vencedor, assim como a nossa felicidade resultante da felicidade do próximo também pode ser esse nosso lado vencedor. Se não tiver isso ao meu alcance e se entretanto não encontrar o meu lado vencedor sinto-me derrotado, invadido por um sentimento de revolta que me atira novamente para o meio do campo de batalha e até quando pode durar a persistência da vontade de encontrar o meu lado vencedor ao longo dessa guerra?

Talvez até eu sentir o apoio daqueles que me podem e querem dar a mão.

Comentários

  1. Assim somos.
    Deixamos que a inquietação gere conflitos em nós, ao ponto de ficarmos alheios ao que nos rodeia. Àqueles que são os pilares que nos sustentam.
    Atiramo-nos de cabeça para uma guerra, sem que tenhamos a preocupação de nos posicionarmos no lugar certo, no campo de batalha. Ficamos longe dos aliados e as perdas vão acontecendo...

    Gostei de ler e entender a realidade das tuas palavras.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. A guerra que temos dentro de nós será que é preciso que tenha um desfecho? A luta constante por algo que acreditamos valer a pena é o que faz o nosso ego quero engrandecer parente os problemas que enfrentamos no nosso dia a dia…sim temos um guerra dentro de nós…

    Ps- Boa frase de Heroes!!!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante