Sem título - 4

...

- Pois é! Como é que eu poderia esperar outra resposta? O disco é sempre o mesmo. Desculpam-se das coisas invocando as situações inversas, mas o que não vêem, é que isso não responde a muita coisa.
- Mas já que falas em desculpas, já arranjaste a tua desculpa para o facto de estares aqui, de estares na situação que estás?
- Já que sabes tanta coisa e fazes-te tão esperto, ainda será preciso eu ter de dizer mais alguma coisa sobre isso?
- Calma! Só estou a tentar ajudar. Só quero que penses naquilo que fizeste. Aliás, que penses muito bem nisso e então escolhas uma dessas portas e naquilo que vais fazer.

- Talvez não haja muito em que pensar, pois se estou aqui, e se dizes que fiz o que disse que ia fazer, é porque já não preciso de pensar muito mais e a decisão será fácil.

- Por vezes julgamos que estamos a tomar as decisões certas, mas na verdade, estamos é a esconder a razão dentro de uma saca de fardo e a deixar os sentimentos liderarem as nossas acções e isso, muitas vezes leva-nos a cometer erros que são difíceis de corrigir, não esquecendo que há erros dos quais resultam situações irreversíveis. Por isso talvez fosse bom pensares que te foi dada uma segunda oportunidade e que talvez o melhor que tens a fazer seja tirares proveito dela. Nem todos têm essa sorte.
- Sinceramente não sei até que ponto estou disposto a repensar naquilo que fiz, no que está a acontecer, e se o que eu quero mesmo é uma segunda oportunidade. Afinal, porque motivo haveria eu de querer passar pelo mesmo quando posso simplesmente assinar o livro de visitas e ir-me embora e deixar tudo resolvido? Nem que seja uma resolução à minha maneira.

- Eu certamente que não posso decidir por ti. O peso da vida de uma pessoa é algo que ultrapassa as capacidades de qualquer pessoa, por mais "perfeita" que ela seja. Isso é uma decisão que cabe a cada um. Vê as coisas como se te tivesse sido dado uma pequena pedra precisosa e valiosa, mas de certa forma frágil, e a tua missão é protegê-la sempre, não a perder nem deixá-la cair para não se quebrar. Ela anda sempre contigo e não a podes confiar a qualquer pessoa. Então é esta a forma que deves encarar a vida e será que queres atirar essa pedra que tens na mão ou dá-la a alguém assim sem mais nem menos?!
...

Ost: Sigur Ros - Hoppipolla

Comentários

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

17.1 - Ilusões