Sem título - 2

...
- Não. Não vejo nenhum espelho. Mas também não preciso de um espelho para saber que existo. Posso olhar para mim e sentir a minha própria presença e porque é que haveria de precisar de mais alguma coisa para saber que eu existo?
- Não te preocupes. Não deve tardar muito até que te apercebas que as coisas não são bem assim.
- Mas afinal que sitio é esse? Ainda não me disseste!
- Já que insistes em saber, posso dizer-te que isso é como se fosse uma sala de espera. Uma sala de espera onde não existem senhas para atendimento e cada um decide quando chegou a sua hora de ser atendido. Por quem, eu não sei. Estás a ver aquela porta lá ao fundo, bem longe daqui, e que parece uma miniatura?! Pois bem, quando tomares a tua decisão saberás que irás entrar numa destas duas portas, ou na que está atrás de ti ou naquela atrás de mim.
- E o que é que há para além daquela porta?
- Isso ninguém sabe, nem mesmo eu sei! Acho que também só vou saber quando eu sair daqui e optar por atravessá-la. Mas até lá acho que ainda vou permanecer por aqui.
- Continuo sem perceber ao certo o que é que faço aqui, que sitio é este e quem é você.
- Sabes o que acontece às pessoas que estão em coma? Essas pessoas vêm para aqui. Desligam-se do mundo e ficam aqui até ser-lhes possível optar por uma das duas portas. Muitas acabam por ir para aquela que está atrás de mim, a que chamo Porta do Infinito, e os outros, como não podia deixar de ser, regressam para o mundo pela porta onde tu estás. Alguns conseguem tomar a sua decisão rapidamente, no entanto há outros que levam muito tempo até se decidirem. À partida pode parecer fácil decidir, mas para alguns trata-se de dar uso a uma balança sensível ao peso dos grãos de areia, onde cada aspecto da sua vida será suficiente para lhes dizer que porta devem escolher e é nessa altura que se começa a valorizar o que realmente é importante e quem não conseguir distinguir essas coisas, ou fará uma escolha à sorte ou então irá fazer a escolha errada.
Soundtrack 2 (What Else is there - Royksopp)

Comentários

  1. Há quanto tempo que não ouvia essa música que quando a ouvi pela primeira vez nem sabia quem era a cantora ou o grupo…talvez às vezes não sabemos bem onde estamos, mas há certas coisas que nos ligam uns aos outros e que fazem da terra onde todos os dias pisamos um sítio onde há várias portas, janelas com cortinas ou apenas janelas despidas! É tudo uma questão de escolha!

    *Hugs n' smiles*
    Carlos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não