Falling Slowly


Por vezes somos contemplados com a ilusão de estar a fazer uma aterragem, intencional ou ao acaso, segura ou insegura, e quando esse nevoeiro se vai embora e leva consigo o fumo da ilusão, apercebermo-nos que essa aterragem não passa de um salto ainda maior, de um lugar ainda mais alto. Uma aterragem numa nuvem provisória, que não era senão uma meta camuflada de ponto de partida. Quando damos por nós, sentimos que tudo passa por nós, como o vento que nos atinge e nunca o contrário.

Há que ficar satisfeito por muitas vezes ficarmos a Cair Devagar como se estivessemos pendurados a um guarda-chuva bem aberto e a balançar como uma folha quando cai da árvore, fazendo-nos embalar e adormecer dentro dum sono onde ficariamo a pensar ou sonhar que se trata apenas de uma viagem pelo arco-iris. Uma viagem cheia de vida e de cor que nos leva de um local para outro. Uma viagem sem complicações, sem dúvidas e com tudo delineado. Se não gostassemos do rumo que estariamos a seguir poderiamos mudar de linha, mudar para uma cor que nos agradasse mais.

Um paraquedas seria o ideal para essas descidas, mas quando é que sabemos que vamos dar inicio a uma?



Glen Hansard - Falling Slowly (from "Once")

I don't know you
But I want you
All the more for that
Words fall through me
And always fool me
And I can't react
And games that never amount
To more than they're meant
Will play themselves out

Take this sinking boat and point it home
We've still got time
Raise your hopeful voice you have a choice
You've made it now

Falling slowly, eyes that know me
And I can't go back
Moods that take me and erase me
And I'm painted black
You have suffered enough
And warred with yourself
It's time that you won

Take this sinking boat and point it home
We've still got time
Raise your hopeful voice you had a choice
You've made it now

Take this sinking boat and point it home
We've still got time
Raise your hopeful voice you had a choice
You've made it now
Falling slowly sing your melody
I'll sing along

Comentários

  1. A música é um canto de uma sereia…agora escolher uma cor, mudar de linha é outra história. Talvez a viagem que tenho que percorrer não aguente o meu peso, talvez o guarda-chuva não aguente, talvez…pois talvez e que mais podemos dizer quando a queda em que estamos é lenta, como o caminhar de um caracol…

    *Hugs n’ smiles*
    Carlos

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Á que saber medir muito bem a altura em que estamos antes de dar-mos qualquer salto por mais pequeno que seja, mas no entanto á que ter confiança em nós proprios e acredirar que sempre se pode dar um salto mais alto se depositar-mos tada a nossa energia nesse mesmo. Escolher uma cor... nem sempre será muito colorida porque á aqueles dias em que só apetece estar a preto e branco.Á que aproveitar todos os dias coloridos fechar o guarda-chuva e saltar sem ter medo da linha que vamos traçar. Beijos de alguém especial.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  5. Não sabemos.. o melhor é andar sempre com um na mochila.. assim estamos sempre preparados para qualquer tipo de descida ;)
    Beijinhos**

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não