Encontro mutuo

Palavras e palavras e esconderijos de palavras escondidos nas próprias palavras. Esconderijos enraizados nas metáforas que são gavetas longas e fundas que arrumam uma infinidade de coisas. Coisas essas que são os nossos fragmentos.
E assim de repente parece que me estou a repetir no blog e o "post" que acabo de aqui deixar se torna algo semelhante ao anterior, mas o que está por detrás dele é bem diferente e assim é porque por mais iguais que sejam os dias, há sempre algo de diferente, nem que seja um gesto que passa por nós com a leveza de uma pena ou um gesto que nos atinge como uma pedra de ferro. Uma pedra que nos dilacera em fracções de segundo e nos deixa perdidos em frente à gaveta arrumando e desarrumando.
Mas são esses gestos minúsculos e enormes, e de grande impacto, que nos transformam e nos fazem crescer, nos fazem tentar melhorar em relação a ontem, mesmo que para isso pareça que nos deixam a cair desamparados no nosso interior à procura da luz que está cá dentro, escondida algures, fria ainda, acesa como a triste chama de uma vela que estremece com o mais infimo ruído e que espera a nossa presença para a protegermos dos ventos que sopram em todas as direcções. À espera do abraço que a fará poder brilhar e ser a nossa fonte de calor, o nosso amigo, o nosso eu. É um encontro mutuo.




Eddie Vedder - "Long Nights" ("Into the wild" OST)
Have no fear
For when I'm alone
I'll be better off than I was before

I've got this light
I'll be around to grow
Who I was before
I cannot recall

Long nights allow me to feel...
I'm falling...I am falling
The lights go out
Let me feel
I'm falling
I am falling safely to the ground
Ah...

I'll take this soul that's inside me now
Like a brand new friend
I'll forever know

I've got this light
And the will to show
I will always be better than before

Long nights allow me to feel...
I'm falling...I am falling
The lights go out
Let me feel
I'm falling
I am falling safely to the ground

Comentários

  1. As repetições desde que não sejam discos riscados são sempre uma espécie de espelho da alma...dizem que os olhos fazem parte desse espelho. De qualquer forma há aqueles repetições onde uma vírgula faz a diferença ou então a ausência de um ponto final acabar por dizer mais sem nos darmos conta disso.

    *Hugs n' smiles*
    Carlos

    ResponderEliminar
  2. vi o filme este domingo =] estava esperando a um tempo já. mas não chegou aos cinemas da minhas cidade. foi preciso buscar meios alternativos.

    bjuh

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não