1 ANO


E porque hoje é um dia para assinalar aqui no blog, não me podia esquecer de deixar aqui um "post" para o fazer. Poderá não ser um "post" original, mas de qualquer forma terá o seu significado e porque tudo o que tem um significado é importante, não o podia deixar de fazer e também faço-o porque gostaria de expressar o meu agradecimento a todos aqueles que já dispensaram um pouco do seu tempo, ou talvez não tão "pouco" quanto isso, para apanharem alguns dos fragmentos que ao longo desses últimos doze meses fui deixando aqui, porque de uma forma ou de outra também foram a razão de hoje estar aqui a escrever este "post". E porque doze meses é muito tempo, em determinadas perspectivas claro, deixo aqui um pequeno excerto do livro "Cemitério de Pianos" de José Luís Peixoto que fala um pouco do tempo, que por acaso (e de acasos já falo mais à frente), ou talvez não, é um dos temas abordados aqui no blog com alguma frequência.

"Eu estava certo de que o tempo respeitava os números do relógio. Eu estava certo de que os números do relógio eram o segredo e a mentira que todos usamos para acreditarmos em coisas simples....Percebi que nem os números podem dar certezas.
O tempo existe entre os números, atravessa-os e confunde-os. Podem existir mais números entre um numero e outro do que entre esse e o próximo. É o tempo que determina os números, que os alonga ou encolhe, que os mata ou que permite que existam. Os números nada podem perante o tempo."


E agora tentando pegar no tempo e reconciliá-lo com os acasos, posso dizer que o facto de um acaso ser algo que pode ter uma duração extremamente reduzida e de ser algo não programado, não quer dizer que não seja tão importante como algo que já contávamos. Aliás, arrisco-me a dizer que grande parte da nossa vida é preenchida de acasos, uns mais surpreendentes do que outros, uns mais importantes do que outros, uns mais marcantes do que outros. Há quem acredite que as coisas estão pré-destinadas a acontecerem de determinada forma e que os acasos ou coincidências não existem e que se aconteceu é porque teve de ser assim, mas neste momento não vou entrar neste ciclo (talvez noutro "post") nem vou tentar distinguir isso ou aquilo. Entretanto digo que foi por acaso que há cerca de um ano atrás encontrei a música "Freewheel" dos Duke Special num blog, e posso dizer que foi um "bom acaso". Assim deixo hoje aqui uma outra música dos Duke Special e não é por acaso que a deixo aqui.

Duke Special - "Last Night i Nearly Died"






Mais uma vez, obrigado pela visita e espero poder estar aqui daqui a um ano a celebrar mais um aniversário e a poder partilhar mais alguns fragmentos.

Comentários

  1. Num ano pode acontecer muita coisa, e quando pensamos no que passamos por vezes damos conta que afinal nem sempre o que é a regra acontece.

    Vejo que os Duke Special têm um dedinho especial para fazerem videoclips, esse não fica atrás do "Freewheel" :- )

    E porque um ano é sempre um ano...se os fragamentos podem fazer um todo, tenho a certeza que com as mais simples pinceladas não é preciso fazeres um esforço extra! :- )

    *Hugs n' smiles*
    Carlos

    ResponderEliminar
  2. Bom, sou uma leitora atenta aqui do teu cantinho, daí que hoje não podia deixar de te dar os parabéns pelo 1º aniversário. Que contes muitos e bons como este!
    Beijinhos!!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não