Dias Emprestados

Estamos em Novembro, mas parece que o Outono pediu um dia emprestado à Primavera e acho que fez bem porque por vezes vem mesmo a calhar uma mudança, nem que seja do tempo! Uma mudança que muitas vezes tem origem no que está à nossa volta e que gira como se estivesse dentro de um carrossel e que acaba por nos levar dentro dos seus limites e só nos deixa sair quando pára novamente e nessa altura de certeza que alguma coisa já se alterou.

Um dia emprestado de uma Primavera que podia ser aquela em que uns dos dias foram ocupados por passeios sem destino, sem horários e apenas com um ponto de partida que acabava por ser também a meta desse passeio que em nada se assemelhava a uma corrida. À excepção do dia que aquela Primavera pediu emprestado ao Inverno e que quase transformou o passeio numa corrida que afinal não fazia qualquer sentido porque a meta era o ponto de partida. E porque é que não se haveria de aproveitar para dar uns passos com a companhia da chuva?! Mas esses dias ou passeios, que não são apenas o deslocamento do ponto A para o ponto B, fazem parte do conjunto de memórias que estão dentro da gaveta porque pertencem ao grupo de experiências que sabemos que jamais se irão repetir e que por isso têm de ficar lá para serem revividas de quando a quando.


Mas hoje não me importava nada se me fosse emprestado um dos dias de férias do Verão, e podia ser o dia da "Big Apple" e por acaso hoje visto-me da mesma maneira que estava vestido naquele dia. Talvez seja para reforçar essa vontade de seguir em frente para o passado. Mas como isso não é possível tenho de voltar atrás para o presente e continuar com o dia de hoje que acabou por ser quase um dia de Inverno.

Comentários

  1. Se o tempo das 4 estações pudesse pedir dias emprestados era acabar uma vez por todas com as mudanças climáticas que sentimos e porque um raio de sol ao trespassar uma folha caída de uma árvore num dia de Outono é um momento, talvez o seguir em frente para o passado não seja uma solução…mas essa “Big Apple” que tu referes é a maça que pede para ser trincada. Já tinha dito isso a alguém, tu já deste uma trinca nessa maça, e pelos vistos vontade não te falta em dares mais uma dentada!

    A minha maça não sei aonde está, um dia a encontro, e acredita que quando der a primeira dentada só descanso quando vir as pevides!

    Metáfora à parte…também tenho saudades dos dias de Agosto, das férias…

    *Hugs n’ smiles*
    Carlos

    ResponderEliminar
  2. que feliz me deixa saber que passaste pelo meu cantinho de palavras e te detiveste :)
    Adorei este teu espaço e a associação que aqui fazes neste post... Há dias emprestados fora de época que deixam estigmas, que despertam olhares e almas.

    Bacci ****

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante