A Viagem

Um texto de Luísa Borges.

Procuro e procuro...A IMAGEM

que me fale da ALMA

Não sei como, nem porquê

nem onde, nem quando.

Sigo sem rumo,

apenas na direcção do vento

até onde o sol de põe,

na fronteira entre a LUZ e a ESCURIDÃO,

até ao último cintilar daquela estrela,

que me acompanha

ao rumor do mar,

que não se cansa de embalar corações

e respirar saudade,

num constante vaivém

entre o morrer e o renascer.

Comentários

  1. Uma viagem é sempre com um destino em vista, podemos embalar o nosso coração como podemos seguir na direcção do vento, mas o que realmente importa é que a viagem seja com um ponto de partida até ao fim de uma liberdade que nos é dada até ao ponto de chegada!

    *Hugs n' smiles*

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante