Papagaio (de papel ou outro material)

Um cubo de gelo por vezes era suficiente para acabar com a ardência que se inventa num abrir e fechar de olhos, vinda da naturalidade desse acto involuntário. Ao que parece há matérias para as quais não crescemos tão depressa como deviamos, se calhar por não ter estudado o suficiente ou por não ter estado com atenção "nas aulas", não aprendemos a lição na devida altura e isso apesar da mochila que levavamos ser enorme e pesada fazendo-nos cambalear a cada passo.

Em vez disso se calhar ficamos a correr na praia com o fio do papagaio preso à mão e o vento a fazer o resto. Será que nós é que guiamos o papagaio ou será o papagaio que nos guia juntamente com o vento?! E se não for um papagaio a estar preso ao fio que temos enrolado na nossa mão e que seguramos com firmeza na expectativa de lhe desenhar uma trajectória?! Pois é...torna-se tudo mais complicado, sobretudo se fizer muito vento. Nessa altura aquela criança só pensa em crescer para conseguir controlar o lançamento, não deixando o papagaio cair por terra porque se isso acontecer poderá quebrar-se e ficar de tal maneira danificado que nunca mais conseguirá planar pelos céus connosco deixando-nos presos no chão sem muito para avistar.

À medida que crescemos o fio do nosso papagaio vai aumentando e ficando mais forte! Até onde nos levará ele?!

Comentários

  1. Se a vida fosse um papagaio (de papel ou de outro material) penso que o fio seria o mais longo possível, o vento seria as nossas escolhas e caso o papagaio acabasse no chão, teríamos apenas que ser perspicazes ao ponto de saber levá-lo ao sabor do vento. Um papagaio de papel tem que estar sempre no limite das nuvens, só assim tem asas para voar! :-)

    ResponderEliminar
  2. O pior é que por vezes o vento leva-nos para sitíos que nunca pensamos ir, sitios que havíamos jurado a nós próprios que nunca iríamos.. a vida prega-nos muitas partidas, pena que nem todas elas agradáveis...

    ResponderEliminar
  3. Um papagaio nunca tem medo do vento por mais forte k ele seja, pois afinal de contas sem ele ñ consegue estar lá em cima bem no alto. Ñ é possivel aprender tudo de uma só vez as melhores coisas saõ as k vamos aprendendo aõs poucos e k vamos sentindo vontade de explora-las, deixando nos envolver até criar-mos as nossas proprias asas e voar-mos aõ sabor de qualquer rajada de vento. :) Beijos.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante