Pinball

Este passeio estreito vai dar a algum lugar que não sei onde fica porque é longe e não pára. Está sempre numa corrida de passos à frente que só o olhar chega a ter uma ideia do que pode lá estar. Às vezes quando olhamos para os lados podemos ver que as paredes estão cobertas de vidros normais, transparentes, e de vidros que reflectem imagens e as acções dessas imagens que se projectam noutros vidros ou em quem lá passa. Isto deve ser porque muitas das coisas que fazemos, ainda que possam ser involuntárias ou feitas com intenções diferentes daquelas que o resultado final faz parecer, são reflectidas nessas pessoas que por sua vez também reflectem alguma coisa que vem ao nosso encontro. Quando isso acontece, esse ziguezague de reflexos ou projecções, parece que estamos perante uma mesa de "Pinball" em que as acções entram dentro daquela esfera brilhante que durante algum tempo desloca-se num ritmo frenético de um lado para o outro batendo em tudo o que é sítio, sendo redirecionada cada vez que atinge algo e partindo num rumo desconhecido. E depois de tanto tempo a vaguear de um lado para o outro o mais provável é a esfera cair no vazio que está no fundo da mesa à sua espera.

Resta-nos ver a pontuação que conseguimos fazer. Será que se conseguiu bater algum recorde?! Talvez...

Comentários

  1. ..."pinball" um jogo em que temos que estar com atenção senão, com tu dizes, a esfera é remetida para o vazio e esse está sempre lá, deitado numa cama de rede, uma limonada numa mão e um sorriso amarelo.

    Sabemos bem que um jogo não passa disso mas quando envolve mais que uma vida é melhor estarmos atentos não vá a nossa esfera provocar o "game over"!!!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não