Muro de pedra

Chove e as cores das pedras desse muro vão-se embora com a água que pega nelas e arrasta-as como um rio sobre si de encontro com o passeio, continuando a sua viagem até desaparecer nalgum buraco vazio. As cores das pedras desse muro que agora não passam de mesclas opacas de cinzentos, castanhos e outras cores que não são cores, caiem juntamente com as pedras que aos poucos e poucos se deixam vencer pelo tempo e acabam no chão.


Ficam ali deitadas, já sem cor e possivelmente despedaçadas pelo impacto da queda, como se ainda houvesse a possibilidade de voltarem a ser colocadas no seu lugar.

Talvez as pedras que constituem esse muro não tivessem sido bem encaixadas como as peças de um Lego e agora acontece isso. E isso é o muro a desmoronar-se aos poucos deixando espaços vazios, dando lugar a uma parede frágil que a qualquer momento pode acabar no chão como um monte de pedras e pó espalhados na rua à espera de serem recolhidos e levados para algum sítio que não se sabe onde fica.

Mas ainda há umas pedras nesse muro e talvez ainda seja possível, embora com muito trabalho e esforço (que não sei onde se vai arranjar), recuperar o que resta dele. Juntar as pedras desbotadas e quebradas que estão espalhadas pelo passeio e tentar colocá-las no muro de novo.

Dessa vez será necessário fixá-las de forma mais eficaz.

Comentários

  1. ...já falei de um muro, o meu, o que me rodeia com todas as suas pedrinhas...sim é necessário fixá-las de forma mais eficaz, é por isso que o meu está de momento em restauração :-)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

16.16 - Portugal - Campeão Europeu 2016

16.14 - "Adoro" quando ... e as orelhas de elefante

16.8 - John Verdon - Peter Pan tem que morrer ... ou não